Facebook - Dr.José Gildásio Pereira

Translate

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O PODER DO SILÊNCIO

                         

O Silêncio é uma ferramenta cuja capacidade ultrapassa a nossa imaginação.

Ele fere quando usado na finalidade de desdenhar, ignorar, omitir ou simplesmente acovardar de diante das circunstâncias adversas, onde a justiça teria de ser proclamada com ousadia.

Esconder o pecado ou a traição, por exemplo, é um silencio que adoece, tira o humor e põe fim até a própria vida. Judas Iscariotes traiu Jesus, participou da ceia com Ele, entregou o Cristo para seus algozes e segundo a bíblia suicidou-se após contemplar o sofrimento de Jesus. O Coração e alma de Judas não suportaram o remorso.

O salmista no Salmo 33 faz confissão de seu pecado afirmando:

 "Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia ( Salmo 33.3).

Queridos infelizmente pecado não prescreve e não tem decadência. Ou ainda num linguajar bem popular: pecado não caduca. Por isso o silêncio pessoal do pecador nesse caso muitas vezes traz conseqüências irreparáveis.

Mas a palavra de Deus no Livro de Provérbios 28.13 aconselha ao pecador arrependido dizendo:

“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia."

Porém esse mesmo silêncio usado como esconderijo dos medrosos e dos traidores, sem sombra de dúvida também é arma poderosa usada pelos sábios em muitas circunstâncias.

A Bíblia diz:
Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido. ( Provérbios 17.28)

Nesse mundo que jaz no maligno,  busquemos de Deus sabedoria, para que nossas palavras não se torne laços de morte ou perseguição.

Poucas palavras e grande silêncio de um HOMEM chamado Jesus de Nazaré foi responsável pela absolvição de uma mulher que fora pega no ato do adultério e que receberia a sentença de morte pela lei judaica.

Há momentos que o silêncio preserva a vida e nessa hora devemos lembrar o que diz no Livro de Provérbio 13.3

"O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que abre muito os seus lábios se destrói."

 Portanto se o silêncio for o melhor argumento, que  façamos ele ecoar e verberar nos recônditos da nossa plateia. Enquanto isso aguardamos  que o juiz de toda terra faça  justiça ainda que sua justiça seja misericórdia e vida ao invés de condenação e morte...

Nesse momento não nos esqueçamos do que diz Moisés no Êxodo


"O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis."