Facebook - Dr.José Gildásio Pereira

Translate

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

MAIS UM ANO SE FOI


A corrupção pluripartidária, ecumênica, multirracial e miscigenada, por certo continuará sendo manchetes nos principais órgãos de comunicação do Brasil, pois a roubalheira está generalizada.
O povo tal como um jumentinho continuará levando a pesada carga tributária ao lombo, enquanto vê a ração proteica delegada pelas leis de seguridade social sendo dilapidadas sem misericórdia e a volumosa ração das promessas não cumpridas sendo jogadas à cocheira.

Mais um ano está chegando ao fim, os religiosos já celebraram o natal, do bloco de neve, do Noel, das luzes, do vermelho, do churrascão, do peru, da uva passa da ceia, da hipocrisia disfarçada de cristianismo.

Todavia a virada do ano é laica e ecumênica ao mesmo tempo, por certo os abastados já se preparam para as oferendas, para votos, os foguetórios, as meditações e cultos de virada.

Enquanto isso, à porta das catedrais, dos templos, dos centros espíritas e dos clubes, na orla das praias, na portaria dos condomínios de luxo e dos palácios, nas praças e nas calçadas dos restaurantes, o substrato e espectro dessa sociedade mendiga um pedaço de pão, porém são invisíveis aos olhos desses que dizem celebrarem o amor, a paz e a fraternidade.

Mais um ano está findando, e os figurões da moralidade se reúnem para contabilizarem as vitórias obtidas pela espada, pelo cifrão, pelo proselitismo descompromissado e pela mentira. No entanto esquecem de contabilizar aqueles que eles deixaram morrer por falta de afeto, por prevaricação e até por falta de atendimento médico.

Sim, eles não contabilizam as desgraças que provocaram na vida alheia, não contabilizam aqueles que fizeram perder a esperança, aqueles que sucumbiram na batalha e foram por eles deixados para traz a mercê do inimigo também não são eles contabilizados.

Mais um ano está findando, mas para muitos o sofrimento não finda, para para alguns será motivo de ações de graça enquanto que para outros será motivo de lágrimas.
Mais um ano está findando, todavia muitas coisas boas e ruins continuarão fluindo no ano por vir.
Verdade!

Mais um ano está vindo, que nele possamos contabilizar as vezes que agimos com misericórdia, que semeamos a esperança e a paz, que levantamos o caído e saramos as suas feridas, que levamos o fardo do nosso semelhante;

que no ano por vir possamos contabilizar as vezes que perdoamos e que pedimos perdão, as vezes que fomos gratos, as vezes que descemos do pedestal e reconhecemos que muito embora hoje possamos está entre os príncipes não deixamos de ser miseráveis fora da lei, dependente da graça e misericórdia de Deus e dos homens.

Que nesse ano por vir possamos reconhecer que tudo é possível se a gente crer, basta apenas agir de forma positiva e o próximo ano será uma bênção em vida.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

A LEI 13.287/2016 PROÍBE QUE A GRÁVIDA E A LACTANTE SEJAM SUBMETIDAS A QUAISQUER ATIVIDADES, OPERAÇÕES OU LOCAIS INSALUBRES

Merecidamente as crianças e as mulheres receberam a lei 13.287/2016 , a qual visa proteger a saúde do bebê e da mãe. 

É sabido que através do referido diploma legal, as gestantes e as lactantes serão protegidas, e os patrões serão proibidos de submetê-las a um ambiente insalubre e perigoso durante o período da gravidez e da lactação.

O que me me deixa espantado é que enquanto  o Congresso nacional aprovou e a Presidencia Sancionou a Lei  13.287/2016  que acrescenta o artigo 394-A à CLT proibindo que a  gestante e a lactante seja submetidas ao trabalho perigoso e insalubre, a Primeira Turma do STF decidiu  descriminalizar o aborto até o terceiro mês de gestação, abrindo um precedente nesse sentido, .

Engraçado, um Poder diz que não é crime provocar o aborto e tirar a vida do nascituro ainda no ventre, o outro Poder diz que esse feto não pode ser nem submetido mesmo a insalubridade durante toda gestação e que  portanto a sua mãe deverá ser protegida até o termino do periodo de amamentação.

Parece uma enorme contradição, ou uma briga de foice entre os poderes da republica, a pergunta é, será que estão realmente pensando no bebê e nas trabalhadoras grávidas e lactantes, ou tudo isso não passa de jogada de marketing de quem deseja eternizar-se no poder.

Pois estamos vendo os direitos dos trabalhadores indo para o ralo, principalmente se considerarmos o projeto de lei previdenciária que tramita no congresso nacional,onde o trabalhador terá de contribuir 49 anos para ter o direito de receber como beneficio 100% do seu salário de contribuição;

As mulheres terão a idade de aposentadoria aumentada em 5 anos e a pensão por morte reduzirá em 50% por cento, entre outras mudanças, como o aumento de 15 para 25 anos o tempo minimo de contribuição  para ter direito a aposentadoria, entre outras mudanças que só trarão prejuizos para sociedade caso sejam aprovadas.

A Lei 13.287/2016,  mereceria aplausos caso os direitos das trabalhadoras não tivesse sendo mutilados e amputados no âmbito previdenciário, e principalmente considerando-se que é ao final da vida que a pessoa, cansada, doente,   e solitária vai depender muito mais do poder público para continuar vivendo de forma digna e ai terá de mendigar caso queira continuar vivendo.

Essa lei 13.287/2016  vem tarde, haja vista a mulher está à anos inserida no mercado de trabalho em condições insalubre sem essa proteção, mas de qualquer forma, aproveitem mulheres, pois a qualquer momento ela poderá ser revogada ou derrogada ou tergiversalizada, já que a segurança jurídica em nosso país está um tanto quanto questionável.

INTEGRA DA LEI:


Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos
Mensagem de veto
Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, para proibir o trabalho da gestante ou lactante em atividades, operações ou locais insalubres
A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o   A Consolidação das Leis do Trabalho - CLT,  aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 394-A:
Art. 394-A. A empregada gestante ou lactante será afastada, enquanto durar a gestação e a lactação, de quaisquer atividades, operações ou locais insalubres, devendo exercer suas atividades em local salubre.
Parágrafo único. (VETADO).”
Art. 2º  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 11 de maio  de 2016; 195o da Independência e 128o da República.
DILMA ROUSSEFF
Nelson Barbosa
Nilma Lino Gomes

Este texto não substitui o publicado no DOU de 11.5.2016 - Edição extra

Fontes:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13287.htm

http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/05/12/lei-proibe-trabalho-de-gestantes-em- atividade-perigosa

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=330769&caixaBusca=N 

https://jurisvim.blogspot.com.br/2016/11/decisao-do-stf-descriminaliza-no-brasil.html

http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2016-12/reforma-da-previdencia-saiba-o-que-muda-com-novas-regras-propostas

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

DECISÃO DO STF DESCRIMINALIZA NO BRASIL O ABORTO ATÉ O TERCEIRO MÊS DE GESTAÇÃO

Vejam este video sobre um aborto real numa gestação de doze semana>
https://www.youtube.com/watch?v=-jhRRVDx4Z4
Veja este outro Video de aborto numa gestação de 3 trimestres:
 [u1]https://www.youtube.com/watch?v=9CELGZd9cLM

Enquanto choramos a tragédia Chapecoense, decisão da primeira turma do STF descriminaliza o aborto até o terceiro mês de gestação, e milhões de crianças serão impedidas de chorar dado a irresponsabilidade de pais e mães que tiram a vida do próprio filho ainda no ventre por ter o sexo apenas como fonte de prazer, esquecendo-se que além do prazer o sexo tem a função de procriação e reprodução da espécie. Ou seja, pensar no sexo apenas como fonte de prazer sem arcar com as responsabilidades é reduzir o ser humano a um estado pior do os irracionais, é um retrocesso.

Na decisão do HC124306LRB que descriminaliza o abordo até o terceiro mês, os nobres julgadores através do neoconstiucionalismo tanto usado no momento nas interpretações efetuadas naquela corte, apontaram as seguintes premissas:

1-      Falta de legitimidade para prisão preventiva;

2-      Interpretação dos artigos 126 e 127 do Código penal de forma excluindo da penalização os abortos praticados até o terceiro mês;

3-      Considerando que a criminalização do aborto viola direitos fundamentais da mulher, inclusive o princípio da proporcionalidade;

4-      Segundo disseram os julgados a criminalização do aborto é incompatível com os seguintes direitos fundamentais da mulher:

a)      os direitos sexuais e reprodutivos da mulher que não pode ser obrigada pelo Estado a manter uma gestação indesejada;

No entanto, tal argumento fere não apenas o direito fundamental à vida estatuído na constituição Federal e em tratados internacionais, como também viola os artigos 124,125,126 e 127 do Código Penal, o artigo 2º do Código Civil como também viola a própria ordem natural. E cabe ao Estado tutelar o direito o direito à vida do nascituro, enquadrando nos termos da lei tanto o pai quanto a mãe na medida da responsabilidade de cada um, afim de garantir o nascimento com vida da criança que foi gerada.

b)      ; a autonomia da mulher, que deve conservar o direito de fazer suas escolhas existenciais;

Mais uma falácia, se a mulher não foi estuprada, (pois em caso de estupro já existe lei e vasta jurisprudências nesse sentido que tutelam o direito da mulher), por tanto se ela não teve a sua vontade viciada, se estava em sã consciência no momento do coito, e de livre e espontânea vontade fez sexo com homem sem as devidas proteções contraceptivas, assume o risco da gravidez, isso é natural, quem brinca com fogo sem proteção quer se queimar e autorizar o aborto usando essa premissa é uma injustiça sem precedentes.

Tanto a mulher como o homem têm todo o direito de fazer as suas escolhas, mas também precisam arcar com as consequências de seus atos. E nesse caso a consequência é a concepção, daí autorizar o médico matar o nascituro indefeso no ventre é e continuará sendo crime contra vida.

c)       a integridade física e psíquica da gestante, que é quem sofre, no seu corpo e no seu psiquismo, os efeitos da gravidez;

Na ordem natural a fêmea sempre foi e sempre o será a responsável pela gestação, o que podemos chamar de direito/dever que cabe somente as fêmeas e dizer o contrário seria como tentar fazer o sol sair no Oeste e entrar no Leste todos os dias, seria como tentar mudar a rotação da terra através de lei ou jurisprudência por exemplo.

É sabido que a anatomia da mulher, somada a sua condição psicológica e ao seu sistema genital, oferece todos os atributos naturais para que ela seja mãe, dizer que a integridade física da mulher será violada pela gestação é outra falácia sem precedentes, é guerrear contra a ordem natural.

Além do mais atualmente a ciência tem colocado à disposição diversos tipos e métodos contraceptivos, inclusive custeados pelo poder público e o direito não pode tutelar a imprudência em detrimento da vida.

Conforme o exposto, conclui-se que os sofrimentos da gestação obedecem a ordem natural e a mulher assume o risco de arcar com o bônus/ônus de ser mãe, assim também como o homem assume o risco de arcar com o seu direito/dever de ser pai.

d)      e a igualdade da mulher, já que homens não engravidam e, portanto, a equiparação plena de gênero depende de se respeitar a vontade da mulher nessa matéria.

E se algum maluco quiser ficar gestante e usar o direito de ação para propor uma ação exigindo do Estado JUIZ que cumpra a sua vontade de ficar grávido e dá luz afim de garantir o seu direito de igualdade, os ministros será que obrigaria quem cumprir o seu intento;

E quando o casal quer ter um filho, em nome da igualdade de gênero o homem pode escolher ser a gestante?

A igualdade de direitos não tem como mudar o curso da natureza e todas as vezes que o homem tentou interferir nisso trouxe sobre si sérias consequências.

Na mesma toada deve considerar falacioso dizer de equiparação plena de gênero, entendemos que o princípio da igualde e o princípio de isonomia propalados em nossa Carta magna  tem como finalidade equiparar a mulher e todo ser humano em direitos, deveres, oportunidades e  proteção contra exploração e violência de qualquer tipo, que venha ser cometida contra a mulher ou contra qualquer pessoa que se enquadra no conceito de minoria ou hipossuficiente.

Entendemos também que o princípio da igualde e o princípio de isonomia estatuídos na constituição e nos tratados internacionais não tem o condão de tornar igual na anatomia e no gênero, como não tem o condão de embranquecer os negros e pardos, tornar os japoneses de grande estatura ou fazer o anão crescer ou eliminá-los precocemente etc., pois se assim tentarem proceder estarão interferindo na própria natureza e a lei que rege os princípios naturais a seu tempo não terá piedade de aplicar as penas devidas a essa sociedade.

Devemos ser combativos no sentido de buscar a liberdade, a igualdade e a fraternidade tão almeja no pensamento republicando, mas qualquer exagero deve ser combatido, principalmente quando a vida e a raça humana estão sendo ameaçada e violada.

 HABEAS CORPUS 124.306 RIO DE JANEIRO RELATOR : MIN. MARCO AURÉLIO



PACTE.(S): EDILSON DOS SANTOS
:


PACTE.(S) : ROSEMERE APARECIDA FERREIRA
:

IMPTE.(S): JAIR LEITE PEREIRA
:

COATOR(A/S)(ES) : SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA
:


(…)
1.       O habeas corpus não é cabível na hipótese. Todavia, é o caso de concessão da ordem de ofício, para o fim de desconstituir a prisão preventiva, com base em duas ordens de fundamentos.

2.       Em primeiro lugar, não estão presentes os requisitos que legitimam a prisão cautelar, a saber: risco para a ordem pública, a ordem econômica, a instrução criminal ou a aplicação da lei penal (CPP, art. 312). Os acusados são primários e com bons antecedentes, têm trabalho e residência fixa, têm comparecido aos atos de instrução e cumprirão pena em regime aberto, na hipótese de condenação.

3.      Em segundo lugar, é preciso conferir interpretação conforme a Constituição aos próprios arts. 124 a 126 do Código Penal – que tipificam o crime de aborto – para excluir do seu âmbito de incidência a interrupção voluntária da gestação efetivada no primeiro trimestre. A criminalização, nessa hipótese, viola diversos direitos fundamentais da mulher, bem como o princípio da proporcionalidade.

4.      A criminalização é incompatível com os seguintes direitos fundamentais: os direitos sexuais e reprodutivos da mulher, que não pode ser obrigada pelo Estado a manter uma gestação indesejada; a autonomia da mulher, que deve conservar o direito de fazer suas escolhas existenciais; a integridade física e psíquica da gestante, que é quem sofre, no seu corpo e no seu psiquismo, os efeitos da gravidez; e a igualdade da mulher, já que homens não engravidam e, portanto, a equiparação plena de gênero depende de se respeitar a vontade da mulher nessa matéria.

5.      A tudo isto se acrescenta o impacto da criminalização sobre as mulheres pobres. É que o tratamento como crime, dado pela lei penal brasileira, impede que estas mulheres, que não têm acesso a médicos e clínicas privadas, recorram ao sistema público de saúde para se submeterem aos procedimentos cabíveis. Como consequência, multiplicam-se os casos de automutilação, lesões graves e óbitos.

6. A tipificação penal viola, também, o princípio da proporcionalidade por motivos que se cumulam: (i) ela constitui medida de duvidosa adequação para proteger o bem jurídico que pretende tutelar (vida do nascituro), por não produzir impacto relevante sobre o número de abortos praticados no país, apenas impedindo que sejam feitos de modo seguro; (ii) é possível que o Estado evite a ocorrência de abortos por meios mais eficazes e menos lesivos do que a criminalização, tais mundo trata a interrupção da gestação durante o primeiro trimestre como crime, aí incluídos Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Canadá, França, Itália, Espanha, Portugal, Holanda e Austrália.como educação sexual, distribuição de contraceptivos e amparo à mulher que deseja ter o filho, mas se encontra em condições adversas; (iii) a medida é desproporcional em sentido estrito, por gerar custos sociais (problemas de saúde pública e mortes) superiores aos seus benefícios.
      ...
Colocar os direitos sexuais e dizer que a integridade da mulher é violada através da maternidade provocada por um ato sexual do qual ela decidiu fazer é mais importante do que o direito a vida é no mínimo estranho, e nesse diapasão o STF está tornando revogando os artigos 124, 125,126 e 127 do código Penal que versa sobre a penalização do aborto, como também os Excelentíssimos Ministros da Primeira Turma do STF revogam o artigo 2º do Código Civil que estatui:

Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro.

A corrupção e a inércia do legislativo e executivo no Brasil trouxe-nos  anomalia em nosso sistema de contra peso e aquilo que que deveria vir através de lei tem sido colocado no ordenamento brasileiro através de decisões da nossa suprema corte (STF).

Foi assim com o com o uso de células tronco embrionária, com o aborto anencefálico, etc., e tantos outros temas polêmicos que o legislativo furtou-se a decidir através da discussão no Congrego Nacional, e o STF – Supremo Tribunal Federal, decidiu tecnicamente com base não na vontade popular de milhões, mais simplesmente com base no entendimento de Ministros que muitas vezes tapam os ouvidos ao eco da voz do povo.

A falta de lideranças políticas comprometidas com seus representados somada ao ativismo judicial vigente, sem sombras de dúvidas estamos caminhando passos largos em direção à um Estado sob o comando de uma ditadura do Poder Judiciário, onde as garantias constitucionais são violadas e a democracia deixada de lado.

Se estes atentados contra o nascituro não forem barrados pela sociedade, em mui breve tal como se fazia na Grécia Antiga, na Roma medieval e na cidade de Esparta, farão também aqui no Brasil. 

Não seria de assustar se usando das mesmas premissas, em breve mães e pais  receberem autorização estatal para matarem os filhos deficientes ou indesejados, lançando-os ao mar ou em precipícios, ou ainda eliminá-los na forma moderna,  levando-os aos  médicos particulares ou  do SUS,  transformando aqueles que deveriam lutar pela vida em anjos da morte buscado por uma geração  que se diz civilizada mas que retrocede a idade da pedra lascada.

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=330769&caixaBusca=N






terça-feira, 29 de novembro de 2016

MODELO DE EMENDA À INICIAL (O1)

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAMÍLIA E DAS SUCESSÕES DA COMARCA DE TATURANA –MG







Processo nº 000000-42.2000.8.13.0686
TIBURTINA SHAYNE MEIRA , menor impúbere, inscrita no CPF 000.000.000-11, nascida em 26/07/2007, representada por sua genitora MARIA SHAYNE MEIRA, devidamente qualificada nos autos em epígrafe, por seus advogados e bastante procuradores que abaixo assinam, obedecendo despacho proferido em 10/00/2016 por esse Douto Juízo, vem respeitosamente perante vossa excelência  emendar a peça inicial no seguinte sentido:

1)    – Considerando-se que na Sentença de homologação de acordo acostada aos autos em epigrafe constam como autores somente os nomes TIBURTINA SHAYN MEIRA e FILOMENA SHAYNE MEIRA, representados por vossa genitora, requer desde já a exclusão de MOZÉ SHAYNE MEIRA e LYUD SHAYNE MEIRA do polo ativo dos autos em epígrafe.  

2)    Considerando-se que a FILOMENA SHAYNE MEIRA, nascida em 10/01/1997 já alcançou a maioridade, e considerando-se que nos termos do artigo 1635, inciso II do Código Civil de 2002, com a maioridade  extingue-se  o poder familiar sobre o filho, requer desde já a retirada da FILOMENA SHAYNE MEIRA do polo ativo dos autos em epigrafe, já que a mesma pode executar alimentos litigando em seu próprio nome.

3)    Conforme o exposto requer a regularização do polo ativo da peça inicial no sentido de fazer constar apenas TIBURTINA SHAYN MEIRA, menor impúbere, inscrita no CPF 000.000.000-11, nascida em 26/07/2007, representada por sua genitora MARIA SHAYNE MEIRA, devidamente qualificada nos autos em epígrafe;

4)    Ratifica-se demais termos da peça inicial e requer o prosseguimento do feito.
N. Termo,
P. Deferimento.
Taturana, 29 de novembro de 2016

Dr. José de Tal
OABSP/000000

Dr. Fulano de Tal

OAB/MG 000.000

(Observação: Os nomes são apenas fictícios)

ESTOU COM RAIVA DA MORTE!

Numa manhã de noticias fúnebres e esperança mutilada, lágrimas verde e amarela escoam pelos olhos de uma nação triste.

Nos preparávamos para sorrir com os chapecoenses, mas não resta outra coisa a fazermos, a não ser juntos chorarmos a dor de seus entes queridos...

Muitos nesse momento de dor e tomados pela revolta das interrogações sem respostas dizem tal como "Zé Capeta" cantava em seus cânticos de vaquejada, cujo autor é desconhecido.

"Eu tenho raiva da morte,
A morte matou meu pai,
Se a gente mata vai preso
A morte mata e não vai..."

A morte mais uma vez nos surpreende,ela não faz acepção, mata pessoas queridas, dilacera sonhos, abre feridas e coloca fim em carreiras que apenas estava começando.

"Zé Capeta" tinha razão, eu também tenho raiva da morte, ela nos separa de pessoas que amamos, e parece que ela ama ceifar a vida daqueles que a gente queria que ficasse conosco mais tempo.

A religiões trabalham a questão da morte no sentido de diminuir a dor de quem fica, trazendo uma perspectiva de imortalidade da alma, de reencontro, de lugar de delícias, de novas chances etc.

Nós cristão acreditamos que a morte passou a reinar devido o pecado no Éden, todavia cremos que essa infeliz inimiga foi vencida por Cristo Jesus.

É sabido que o nosso Jesus se entregou voluntariamente à morte, mas todos tem o conhecimento de que ELE ressurgiu dos mortos ao terceiro dia e nos deu uma esperança viva de que um dia na sua vinda, os mortos NELE também ressurgirão e  nós os tivermos vivos naquele tempo seremos transformados e juntos com corpos incorruptíveis também venceremos os aguilhões da morte e cantaremos o hino da vitória.

Nem tudo está perdido...

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

APRENDER DÓI


                                            #aprenderdói  




Ninguém aprende a arte do carpinteiro sem que antes acerte algumas marteladas no dedo, e pensar que Jesus é carpinteiro.

Por isso quando vejo alguém com vasta experiência e dotado de muito conhecimento, imagino:
- Este muito sofreu!

Conclui-se que aprender dói muito, ou seja, se alguém quer aprender alguma coisa tem de passar pelo infortúnio da dor.

J.Gildasio Pereira
Primavera/2016

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

31 DE OUTUBRO, REFORMA PROTESTANTE OU HALLOWEEN?

31 de Outubro 2016 - 499 anos da Reforma protestante


Além da questão religiosa onde os dogmas da Igreja Romana foram rechaçados por Martin Luther e a salvação pela fé pregada, os demais marcos doutrinários da reforma inclusive os "sola's" foram defendidos  pelos reformadores como premissa maior: 
Sola Fide – somente a fé
Sola Scriptura – somente a escritura”
Solus Christus – somente Cristos
Sola Gratia – somente a graça
Soli Deo Gloria – glória somente a Deus

A reforma protestante também foi um marco politico inegável na história da humanidade, fomentando o desenvolvimento, educacional, filosófico, científico,  tecnológico, cultural, econômico e Republicanos entre os povos, e deve ser lembrada mais do que as bruxas do Halloween.
Já a celebração do Halloween acredita-se que faz parte do culto pagão dos Celtas que acontecia sempre em outubro no final do verão quando os mortos voltavam à suas residencias para visitar seus entes queridos.

Segundo  a crença dos celta, era necessário fazer tais Rituais a fim de espantar os espíritos maus e as assombrações que nessa época também apareciam para lançar maldições sobre os animais e a colheita. 

Tal crença se espalhou e hoje faz parte das festas dos Estados unidos um país tradicionalmente protestante, como também, o halloween tem sido festejado por muitos outros países do Hemisfério Norte.

No Brasil onde a maioria é católica romana ou protestante de matiz evangélica, cada vez mais tem crescido os adeptos dos festejos do halloween,  fomentando o comercio de fantasias e bebidas, enchendo as casas de festas Brasil a fora e promovendo o crescimento da cultura das bruxas.

A Reforma Protestante, tem sido celebrada com a mesma intensidade que celebram o dia das bruxas em 31 de outubro, ou as lideranças protestantes estão envolvidas com a venda de indulgência e  a militância política como  fazia a Igreja Romana na Idade Média?

Os protestantes ainda estão preocupados com os cinco pilares defendidos na Reforma ou  já aderiram as máscaras e as fantasias do halloween, afim de contextualizar-se politicamente?

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

INCRÉDULOS QUE DIZEM CRER EM DEUS


Eles fazem prece, dormem na oração
Carregam consigo a santa devoção
De jejuar e fazer penitência

São quase mestres em teologia
Sabem de có toda a liturgia
É de dá inveja sua reverência

Mas só acreditam no que é visível
Pra eles tudo é impossível
se fugir daquilo que eles conhecem

Pobres miseráveis de vida e de alma
vivem a perder e mantém-se a calma
Dizem crer em Deus mas o aborrecem

O mundo tá cheio de seres doentes
Embora capazes e inteligentes
preferem viver na dor do pessimismo

Mas a fé move os vencedores
E a crença conduz os sonhadores
Que contrariam a lógica e o silogismo.

Não basta apenas crer em Deus como o diabo o faz
É necessário crer que ELE te fez capaz
De mudar a história e até o futuro

É necessário ver além da parede
É necessário saciar a sede
Encontrando o pote num ambiente escuro

terça-feira, 18 de outubro de 2016

NOSSA CONSTITUIÇÃO NÃO PRECISA SER REMENDADA E SIM CUMPRIDA

18/10/1988 ______________________________________18/10/2016
Em 26 anos de Constituição Cidadã, muita coisa melhorou, mas a igualdade por ela estatuída permanece apenas "no dever ser" românico e apaixonante pregado pelos sofistas pós-moderno em períodos de eleição, longe de expressar a realidade almejada pelos constituintes originários e pelos milhões de brasileiros segregados pelas ações escravagistas dos neoliberais travestidos de estadistas!!!
Nossa Constituição não precisa ser emendada ou remendada com mulambos oferecidos pelos lobistas que pagaram a campanha eleitoral daqueles que em nome do povo defendem os interesses espúrios de alguns em desfavor da maioria dos brasileiros.
Nossa Constituição precisa ser cumprida e respeitada pelos agentes estatais e por todos os brasileiros, afim de termos um país mais justo e mais solidário, onde impere a igualdade, a liberdade e a fraternidade, onde o rico e o pobre possam morar no mesmo bairro e no mesmo condomínio, possam cuidar da saúde no mesmo hospital, possam estudar no mesmo colégio e acima de tudo possam ser tratados por todos como gente, independente da sua raça, da cor da sua pele, da sua condição social ou da sua crença.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

NEM CABRESTO NEM CAJADO NEM CIFRÃO!!!


Atenção eleitores!
Cuidado fiquem velhacos!!!!

Pois em tempos de eleição há muitos peões do curral de seu fulano de tal com cabresto na mão prontinho pra amarrar o seu voto em troca de falsas promessas.

Sem contar os cabos eleitorais disfarçados de pastor que sorrateiramente usam o poder do cajado para conduzir o aprisco a votar em massa nesse naquele candidato.

"(...) Entre os políticos da banda podre há um provérbio que diz: “todo homem tem o seu preço”.  Segundo a lógica de tais políticos  uns se compram com sorriso, outros com um chaveiro, os mais granfinos com um jantar, com viagens, alguns dólares e oferta de poder, outros ainda são comprados com promessas mirabolantes. 

Mas acreditem, há políticos que usam  moedas exóticas como dentadura,  mortalha,  caixão, visita a velório e até “lágrimas de crocodilo.

” O pior, é que os tais políticos encontram pessoas quem vendem o votos à   preço de banana, daí presenciamos mensalinhos, mensalões, propinodutos, lava a jato, pedaladas,  funcionários fantasmas e tantas outras formas imorais de desviar dinheiro dos cofres públicos para o bolso ou a conta bancária de alguém .

Não resta dúvidas, se temos maus governantes é porque votamos mau, ou não damos ao nosso voto o valor que ele merece. ( PEREIRA,José Gildasio - do artigo QUANTO VALE O SEU VOTO - http://jurisvim.blogspot.com.br/2013/10/quanto-vale-o-seu-voto.html )"

Nessas eleições não, não se deixe ser conduzido a bel prazer pelo cabresto nem pelo cajado, cifrão, ou por qualquer outra moeda exótica, vote consciente em quem te representa de verdade, use a única arma que o povo tem para mudar a ordem política que impera, use seu voto com inteligência.

Pelo contrário não reclame depois, pois você é responsável por aqueles que estão fazendo o bem ou o mal nos cargos eletivos da administração pública.