Translate

domingo, 5 de outubro de 2014

ELEIÇÕES 2014 - Festa Cívica ou Consolidação de Negociata?


Tenho saudade dos tempos em que as eleições no Brasil era uma grande festa cívica onde os brasileiros com sede de Democracia iam as urnas em 15 de novembro.
Quando dos mais longínquos rincões desse país saiam brasileiros empunhando o título de eleitor para ir às urnas votar no seu candidato preferido.
Quando os jovens sonhavam completar 18 anos para votar e participavam ativamente das discussões políticas nesse país.
Tempos onde líderes nasciam entre os jovens como gramíneas nos bosques.
Tempos que na verdade tínhamos poucos partidos, mas sobrepujava em líderes, corajosos pensadores, dispostos a desafiar o sistema que nos oprimia ainda que fossem mortos ou banidos sem misericórdia.
Em couro e em meio aos fuzis fomos ás ruas pedir diretas já, mas um dia a aurora raiou e vimos nascer o sol da democracia nesse país chamado Brasil.
Elegemos os constituintes, elegemos o presidente da República na primeira eleição direta após a redemocratização, mas também fomos as ruas de caras pintadas exigir o impeachment daquele que houvera traído a confiança do povo brasileiro.
Hoje o tempo passou e estamos diante de uma eleição insípida, uma democracia ofuscada pelos acordos, pelas negociatas, pelos líderes fabricados por marqueteiros de plantão e pelos partidos fisiológicos cuja ideologia é conquistada no control "V" control "C".
Mesmo assim com uma fagulha de esperança fui hoje as urnas e votei naqueles que acredito ser alguém que me represente e que tem condições de levar esse pais a ser um pouquinho melhor para a maioria dos brasileiros.