Translate

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CORRE RISCO DE MORTE A MULHER APEDREJADA NOS ULTIMO DIAS


O apedrejamento público de uma mulher sem uma sentença transitado em julgado, a coloca em risco eminente de morte e nos reporta à João 8.

Qual a nossa posição?
Estamos com pedras nas mãos ou escrevemos na areia?
Seriamos os primeiros a lançar pedras ou os primeiros a saírem?
Ainda tiramos um tempo para falar com o autor da vida ou somos daqueles que ganham a vida bisbilhotando a vida alheia?

certo é que tiraram o pau-de-arara de cena e já não vemos falar , pata de gato, cadeira do dragão, ou empalamento, todavia a língua e todas as outras formas de comunicação em massa, vem sendo o método mais eficaz de torturar os desafetos no momento.

Uma pena que ainda há pessoas que se deleitam ao ver o seu semelhante sendo linchado publicamente, ao contrario disso, conheço alguém que chorou ao ver o futuro de dor decretado por sentença a uma cidade julgada e condenada a destruição, essa mesma pessoa absolveu uma mulher pega em flagrante delito, cuja lei dizia que a morte seria a sentença para o crime que ela havia cometido.

Ainda bem que essa pessoa era Jesus Cristo e os cristão hodiernos dizem ser seguidores e discípulos dele, por certo numa hipotética situação como a narrada no titulo e no primeiro parágrafo desse artigo, também agiriam agiriam da mesma forma que ele.